Foto: EBC

Desde a sua posse, em 1º de janeiro de 2019, o presidente Jair Bolsonaro deu 149 declarações passíveis de checagem, das quais 82 eram completamente falsas ou apresentavam algum grau de erro. Isso significa que, a cada 10 declarações do presidente durante as primeiras dez semanas do seu mandato, quase 6 eram falsas ou distorcidas. Também significa que Bolsonaro disse, em média, uma informação equivocada por dia desde que se tornou presidente. A informação é da Agência Aos Fatos, Organização Não Governamental (ONG) especializada em checagem de informações.

A contabilidade foi feita diariamente pela equipe da agência, que mapeou redes sociais e meios de comunicação. A partir desta segunda-feira (11), a organização prometeu publicar regularmente balanços sobre a veracidade das declarações do presidente da República. Até o último dia 10 de março, Aos Fatos constatou que, de 149 declarações feitas por Bolsonaro passíveis de checagem, 67 apresentavam informações verdadeiras, 52 tinham algum grau de erro e outras 30 continham dados completamente falsos.

De acordo com a agência, as declarações falsas mais frequentes estão na seara da economia: o presidente cometeu erros e propagou falsidades ao menos 15 vezes a respeito de temas que vão desde a construção de rodovias, passando pelo subsídio à produção de leite até resvalar em gasto público com educação. Desde que tomou posse, Bolsonaro proferiu seis declarações totalmente falsas e outras nove imprecisas ou contraditórias sobre o tema.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui